fbpx

Quanto tempo você tem?

.

Não é da morte que a maioria das pessoas têm medo. As pessoas (e isso possivelmente inclui você) têm medo do que a morte representa: o fim do tempo que você tem pra fazer alguma coisa.

Certa vez há alguns anos atrás, em uma visita a um lar para idosos em minha cidade, ouvi um relato que é algo que realmente provoca medo: “meu filho, a minha maior tristeza, é olhar pra trás desses 70 anos e ver que eu não construí nada, a vida (tempo) passou e eu não fiz nada, e agora não posso mais fazer nada”. É disso que as pessoas têm medo. Você já se pegou pensando: “como o tempo passou rápido!”, “quanta coisa aconteceu nesses “x” anos”, “como minha semana passou rápido”, “meu Deus, o prazo está acabando!” e etc?

Há aquela frase que pode parecer clichê: “o tempo é a moeda mais preciosa”, e de fato é. Mas, o valor do tempo não é monetário, o que torna o tempo valioso, é o que eu posso fazer com ele. E o tempo é uma moeda justa. Os bilionários tem o mesmo tempo que eu tenho em cada dia e mesmo que você precise fazer algumas coisas no seu dia que eles (os bilionários) não precisam, seu tempo vale muito.

“Gastadores de tempo”

Não quero aqui trazer um texto sobre produtividade apenas, mas, uma reflexão sobre como estamos “gastando” nosso tempo. “Existe um tempo para cada coisa” esta é uma sabedoria milenar, o Livro de Eclesiastes, segundo estudiosos foi escrito por volta do século III a.C e no seu terceiro capítulo (Eclesiastes 3, 1–13) nos deixa esta lição que é tão atual.

Um grande problema enfrentado hoje é que pessoas gastam tempo como gastam dinheiro. Simplesmente lotam suas listas de tarefas, agendas, calendários pensando que assim estão aproveitando seu tempo, como aquelas pessoas que são compulsivas que entram num shopping e vão de loja em loja empregando seu dinheiro em diversos tipos de roupas, acessórios e etc.

No fim o resultado é o mesmo: coisas que vão se amontoar sem utilidade — tarefas que não lhe fazem sentir que fez algo, que vão te remeter àquele tipo de pergunta que mencionei lá em cima, e por vezes, questionamentos piores ainda. E o problema é que o dinheiro volta, o tempo nem volta e nem para.

A boa notícia é que você pode reverter sua situação se você tem ficado pensativo sobre isso, você pode aproveitar bem seu tempo. Você não precisa bancar o coelho de Alice no País das Maravilhas que está sempre atrasado.

Desligando o “piloto automático”

O nosso tempo está sempre bem preenchido, produtividade é uma palavra que está no nosso vocabulário, livros sobre produtividade figuram entre os mais consumidos no mundo, todos querem saber como fazer mais com o tempo que se tem.

Eu mesmo já disse: “meu dia precisaria ter umas 35 horas”, e isso pode ser sinal de falta de foco, ansiedade, estresse, procrastinação. No nosso dia a dia, nos ambientes em que passamos, existem muitas distrações externas que podem nos fazer perder o foco, mas engana-se quem pensa que somente o ambiente externo é culpado pela falta de produtividade. Hábitos pessoais podem ter um peso maior do que você imagina na sua produtividade.

Desligue o “piloto automático” da sua vida. Este é o primeiro passo. Você precisa saber o que você está fazendo com seu tempo para poder mudar o que é necessário. Mesmo no ritmo alucinante que a vida nos impõe hoje você precisa parar e olhar para o seu dia, para você e ver o que você está fazendo. Isso vai te ajudar a eliminar aquela frase: “Já acabou o dia?”, “hoje já é quarta-feira?”

Quando decidi me submeter a este processo, eu passei a escrever todas as minhas ações do dia durante uma semana. Quanto tempo eu estava dormindo, quanto tempo eu estava assistindo, nas redes sociais, comendo, absolutamente tudo o que eu fazia eu anotava, durante 7 dias. Isso me deu um panorama de como o meu tempo estava sendo consumido, o que eu poderia otimizar, como otimizar, o que precisava mudar e o que precisava ser reduzido ou eliminado.

Hoje existem apps que ajudam nesse monitoramento, como o Life Cycle e outros. A partir daí, você conseguirá se organizar, organizar suas tarefas.

A importância da Organização

A organização é essencial para o aproveitamento do seu tempo. Esta organização pode ser uma lista de tarefas, pode ser num app, calendário, como você quiser, desde que você consiga saber o que você precisa fazer naquele dia, naquela semana, no mês, no semestre e etc. A psicanálise diz que o exterior remete ao seu interior. Se sua mesa, gaveta, seu quarto, sua casa, seu escritório, estão uma bagunça, possivelmente suas ideias, seus pensamentos, estão uma bagunça também. Organizar seu ambiente de trabalho pode ser uma terapia, pode ser um momento de organizar também sua mente.

Algo que também vai te ajudar muito a ser mais produtivo, é aprender a dizer NÃO. Você precisa definir metas, e são essas metas que irão guiar suas ações. Tudo o que for te desviar desta meta, deve ter NÃO como resposta. Você não precisa fazer tudo, ninguém faz tudo. Você pode delegar, buscar outra solução, outra pessoa que possa atender àquela situação no momento, mas quanto mais SIM você diz, mais caminhos você toma e nem sempre os caminhos lhe levarão onde você quer ir.

Uma pesquisa realizada pela University of California aponta que após uma distração do seu foco são necessários cerca de 23 minutos para retomar à tarefa anterior. Isso pode ser muito tempo, por isso dedique as primeiras horas de seu dia a planejar o que você PRECISA fazer, enumere apenas as suas prioridades e não troque de caminho várias vezes ao dia a não ser que seja necessário.

O relógio está correndo, tire o máximo de proveito de cada dia seja ele uma segunda-feira, sexta-feira, domingo. Dar desculpas é fácil, rápido, mas nunca indolor.

Compartilhe nas redes sociais

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram

Publicações recentes

Lourenço Silva

Missionário da Comunidade Obra de Maria, casado e pai de 3 filhos.

Na Obra de Maria desde 2005, atuo em diversas frentes formativas, de espiritualidade, vida missionária, liderança de equipes e trabalho social. 

Profissionalmente atuei por anos como profissional de marketing de conteúdo, copywriter e ghost writer, tendo escrito textos para Rock Content, Contentools, Venngage, Acountech e diversas outras empresas e profissionais, além de ter sido head de conteúdo do Mindset Exponencial e editor-chefe da revista homônima ao grupo.

Na internet, além de integrar a equipe de Marketing da Comunidade Obra de Maria, produzo conteúdo sobre Espiritualidade, Marketing e Comunicação para Cristãos.

Lourenço Silva © Todos direitos reservados.